Histórico 

Somos as histórias que contamos

Dos tempos da comunicação pelo orelhão, dos sonhos da arte e da cultura comunitária  escritos no caderno e a palavra como compromisso. Assim começamos a semeadura.

 

 

2003 

A SEMENTE

No primeiro ano de atuação do Pacra, foi realizado o Mapeamento Artístico-Cultural dos assentamentos de reforma agrária no Ceará, revelando a existência de manifestações artísticas em 66 assentamentos. São grupos de reisado, dança de São Gonçalo, repentistas, emboladores, cordelistas, grupos de teatro, de coral e quadrilhas juninas. Utilizando as informações coletadas através do mapeamento, foram organizadas oficinas regionais de animação cultural no Crato, Crateús, Meruoca, Itarema e Alto Santo. Na última etapa de  reflexão e socialização do processo desencadeado a partir do mapeamento cultural  ocorreu  o I Seminário Arte e Cultura na Reforma Agrária, no qual foram definidas as diretrizes, os objetivos e as prioridades de uma ação de  arte e cultura nos assentamentos rurais.

O evento  propôs as  diretrizes e estratégias relativas à arte e a cultura na reforma agrária  a  serem incorporadas ao  Plano Regional de Reforma Agrária do Ceará (PRRA) como dimensão estruturante do processo de desenvolvimento humano e sustentável do campo.

  Ao final do Seminário os assentados e assentadas  expuseram seu cansaço com projetos idealizados e que jamais saiam do papel. No momento, Silma Magalhães técnica responsável pela atividade e que depois se torna a coordenadora do PACRA assumiu, ali, o compromisso de atuar lado a lado com os sujeitos, ouvindo-os os grupos culturais, artistas e lideranças comunitárias, não exercendo uma liderança vertical. A parceria iria criar fortes laços entre o projeto e os assentamentos que perduram até os dias atuais  mesmo diante da desestruturação do apoio institucional ocorrido a partir da segunda metade da década de 2010. 

A data de realização do I Seminário  Arte e Cultura na Reforma Agrária nos dias 11 e 12 de dezembro de 2003  é considerada a data de criação do PACRA

Das semeaduras brotam frutos  de reconhecimento e valorização do homem e da mulher do campo, em especial da juventude, construindo  pontes reais e simbólicas, que ligam campo e a cidade, pavimentadas pelo poder de comunicação e transformação cultural.

 

2004 

A  TERRA E O CINEMA

I MOSTRA SERTÃO IMAGEM E MOVIMENTO 

 Em 2004 o PACRA se estrutura como  Projeto de Arte e Cultura na Reforma Agrária, respaldado  pela  repercussão e representatividade  do I  seminário e com o cenário nacional que apontava para o avanço da política de reforma agrária e a democratização do acesso às políticas públicas de cultura.

Em 2004 o lançamento de dois programas culturais voltados para a cidadania cultural e a valorização e apoio a arte e as manifestações populares do campo e da periferia inauguram um novo patamar de políticas públicas no Brasil. São estes:  O Programa BNB de Cultura e o Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura.

No tocante a política institucional do INCRA/Ce logramos inserir no convênio INCRA/SEBRAE de prestação dos serviços de ATES  Assistência Técnica  Ambiental e Social   a diretriz  de formação em arte, cultura e cidadania contemplando intercâmbios entre os grupos culturais dos assentamentos e iniciativas culturais de referência no Ceará e em outros estados,  bem como o apoio  à difusão das produções artísticas  dos assentamentos nos circuitos de difusão cultural no Ceará. Destacam-se os intercâmbios com o  Projeto Fundação Casa Grande (Nova Olinda),visitas ao Sítio Caldeirão (Crato) e ao Museu Patativa do Assaré (Assaré).

Em 2004 foi  realizada a Mostra Sertão Imagens e Movimento, durante o 14º Cine Ceará. A Mostra foi produzida em parceria com o Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (NEAD),órgão  ligado ao Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), e ocorreu nos assentamentos Santa Elisa (Quixeramobim), Santa Bárbara (Caucaia) e no Centro Cultural Dragão do Mar (Fortaleza) 

A realização da Mostra é a primeira atividade de  projeção estadual e  nacional do PACRA. A  MOSTRA contou com a presença  de grupos de jovens, comunicadores populares e brincantes de reisado. O convite aos brincantes  chegou pelo orelhão: Ir para Fortaleza participar de uma Mostra de cinema. cinema? Nunca tinham assistido. O grupo do reisado do Mestre Zé Augusto da Cachoeira do Fogo no município de Independência  divide o seu tempo entre os que tiveram coragem de vir para Fortaleza para a Mostra, considerados quase heróis e os que receosos preferiram não vir.

Era o tempo da comunicação pelo orelhão e as fotografias  eram raras, e um convite desse era muito diferente de todos os outros. Os jovens vieram de muitos lugares, do Sertão dos Inhamuns, Quixeramobim, Caucaia, Monsenhor Tabosa entre outros. No PACRA, uma atividade, um encontro  é sempre a oportunidade de puxar o fio e tecer uma grande rede de ampliação de mundos. 

Dessa forma, a Mostra Sertão Imagem e Movimento reuniu a exibição de filmes no Centro Dragão do Mar e nos Assentamentos Santa Barbara/ Caucaia  e Santa Elisa em Quixeramobim. A Mostra contou com a presença dos diretores de cinema Camilo Cavalcanti, Vladimir Carvalho e da pesquisadora em cinema da terra Célia Torrentino, promoveu a Oficina de Fotografia para o grupo de jovens e brincantes de oito assentamentos, cuja exposição das fotos circulou em vários assentamentos posteriormente e organizou  visitas e intercâmbios ao Teatro José de Alencar, Centro cultural do Banco do Nordeste, Catedral, Zoológico, essas atividades culminaram  com a entrega de um KIT de produtos da Reforma Agrária para os diretores de cinema brasileiros e de demais países participantes do 14 Cine Ceará.

Para Sivaldo, careta do Reisado do Mestre Zé Augusto, participar da Mostra Sertão Imagem e Movimento, foi uma grande emoção, principalmente, quando entrou no cine São Luiz e aquela mulher linda de vestido preto longo, olhou só pra ele e disse: Boa Noite, seja bem vindo!! 

O PACRA foi se constituindo de baixo para cima,  ensaiando  novas modalidades de trabalho, alicerçados na ampliação  de  conhecimentos, saberes e habilidades de gestão, elaboração de projetos  e metodologias de ação cultural  e principalmente no estabelecimento de relações dialógicas, participativas e de respeito à autonomia dos grupos artísticos culturais, alargando o universo institucional e criando  práticas inovadoras  no serviço público. 

14º Cine Ceará

Visitas a Espaços Culturais CINECEARA

Entrega kit Reforma Agraria

Mostra Assentamento Santa Bárbara

2005 

SOMOS SERTÃO, SERRA, MAR  E ATRAVESSAMOS AS FRONTEIRAS DO BRASIL

LANÇAMENTO DO LIVRO A ARTE E A CULTURA NA CONSTRUÇÃO DA REFORMA AGRÁRIA  DE OSWALDO  BARROSO

Em 2005, as atividades do PACRA ampliaram a diversidade das ações culturais nos territórios do sertão, litoral e serra, adentrando espaços antes inimagináveis para os sujeitos da reforma agrária. Os obstáculos decorrentes do pouco recurso financeiro foi vencido através do reconhecimento em algumas esferas institucionais da cultura como  estratégica para o desenvolvimento do campo.

O projeto mobilizou  cerca de 40 grupos culturais de diferentes manifestações artísticas, reisados, teatro, dança e música. O movimento trouxe esperança e autoestima aos grandes mestres da cultura da reforma agrária no Ceará. Pessoas que há mais de 80 anos vinham mantendo viva a tradição do reisado nas suas regiões comemoram a entrada de seus filhos, netos e sobrinhos no reisado, garantindo a continuidade e a imortalidade da cultura popular tradicional. A juventude dialogou com seus mestres, gerando “prazer e encantamento”, como diz o nosso ministro Gilberto Gil no discurso do lançamento do Programa Cultura Viva, com o qual nos identificamos e nos irmanamos.

Nesse clima de fortalecimento das culturas campesinas  e populares publicamos o livro “A Arte e a Cultura na Construção da Reforma Agrária”, realizamos exposições fotográficas itinerantes e produzimos material audiovisual, além de ampliar o leque de parceiros.

Segundo Rosemberg Cariry, surge “um novo movimento de cultura popular tradicional a partir do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária. Peças teatrais, danças e leituras dramáticas, shows musicais, vídeos documentais e novos programas educacionais diferenciados são algumas ações visíveis de um movimento mais profundo e transformador que religa a cultura dos sertões a uma contemporaneidade”

Atividades  Formativas  PACRA

  •  Intercâmbios Estéticos com ong’s “Riv’Nord” e “Rapsode Production”, culminando na participação do PACRA no “Parcours Brèsilis 10”, juntamente com representantes do ENCINE e do  MST Paris /FR; 
  • Intercâmbio de Grupos de Assentamentos no 19° Escambo de Teatro de Rua – Janduís – RN;
    Intercâmbio do Grupo de  Teatro Caricultura  da Barra do leme – Pentecoste nas aldeias Indígenas Tapeba – Caucaia/ce e Genipapo-Canindé-Maracanaú/Ce;

  • Intercâmbio dos jovens dos assentamentos do Município de Morada Nova e Taboleiro do Norte com a Associação Cultural Carnaubeiras – Russas/CE;
  • Lançamento no I Encontro dos Mestres do Mundo do livro “A Arte e a Cultura na Construção da Reforma Agrária”, do pesquisador Oswald Barroso em parceria com o PACRA, com a presença de Célio Turino Secretário Nacional de Programas e Projetos do MINC

Atividades  de Difusão da Produção Artística e Cultural 

  •  II Festival Vida e Arte – Fortaleza
  •  I Encontro Mestres do Mundo – Limoeiro do Norte 
  • I Encontro Nordeste do PRONERA;
  •  Encontro da SBPC (Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência); 
  •  Festival de Circo Teatro e Artes de Rua – Festival dos Inhamuns.
  • I Seminário de Culturas Populares – Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural / Ministério da Cultura

 

 

Galeria:

 

Mostra Arte e Cultura da Reforma Agrária – Frutal

Cine Ceará 2005

Cine Ceará 2005 Mostra Coqueirinho

Oficina de Audiovisual Assentamento Coqueirinho

2006

 

As  políticas públicas de cultura na gestão do Ministro Gilberto Gil  avançaram com o fortalecimento  do Sistema Nacional de Cultura,  e a ampliação do Programa Cultura Viva e as ações  da Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural.

No tocante às políticas de desenvolvimento agrário, a política de desenvolvimento territorial, com a  criação dos territórios da cidadania e de identidade cultural amplia a visão de desenvolvimento rural e pauta novas institucionalidades. Nesse processo  inovador o PACRA é convidado pela SDT para contribuir  e se constitui uma parceria que perdurou vários anos.

Em 2006  realizamos o II Seminário de Arte e Cultura na Reforma Agrária que reuniu assentados e assentadas de grupos artísticos, lideranças dos assentamentos, representantes dos movimentos sociais do campo, gestores e profissionais da cultura em geral,  representantes das etnias indígenas Tremembé e Pitaguari, constituindo-se como um espaço de aprofundamento acerca das relações entre cultura, desenvolvimento e cidadania e de  fortalecimento do PACRA   na sua dimensão democrática e participativa,  reafirmando a sua relevância para o desenvolvimento cultural e social das áreas de reforma agrária. Ao final  do Seminário  elaboramos as diretrizes e um conjunto de propostas a serem entregues ao futuro secretário de cultura do Ceará

Na linha de registro e memória  montamos a  Exposição Fotográfica Uma Terra Onde Corre Leite e Mel de Leonardo Melgarejo com registros de grupos e manifestações culturais  de onze assentamentos cearenses, gestando  novos olhares  e imaginários sobre a reforma agrária. e seus múltiplos  sujeitos, homens, mulheres, jovens, crianças, revelando cotidianos, potências e belezas do vasto território camponês. 

O projeto, em 2006, esteve presente em trinta e cinco assentamentos no estado do Ceará, totalizando setenta e cinco grupos com os quais desenvolvemos atividades de caráter contínuo  e pontual.  A ampliação do alcance das ações do PACRA e as  parcerias conquistadas,  contribui para   consolidar internamente a sua atuação e animar a  perspetiva de  expansão deste  para outros estados, além do Ceará. 

Principais atividades

Atividades  Formativas e de socialização da experiência do  PACRA

Realização do II Seminário de Arte e Cultura na Reforma Agrária:

Lançamento do livro “A Arte e a Cultura na Construção da Reforma Agrária” e do Kit “Cartas Verdes para um Mundo Melhor”, na Conferência Internacional de Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural/ Porto Alegre/ Rio Grande do Sul

Conferência Internacional de Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural/ Porto Alegre/Rio Grande do Sul –  Oficina Temática “Cultura e Desenvolvimento: A experiência do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária”, oficineiras : Silma Magalhães – coordenadora do PACRA e Ivaniza Martins –Grupo de Dramistas – assentamento da Lagoa do Mineiro 

Exposição Fotográfica “Arte e a Cultura na Reforma Agrária” e palestra “Cultura e Desenvolvimento: Uma experiência do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária”,  INCRA, Brasília-DF palestrantes: Silma Magalhães – coordenadora do PACRA e Ivaniza Martins – Grupo de Dramistas  -assentamento da Lagoa do Mineiro

Palestra da Coordenadora Silma Magalhães na FERAPI (Feira de Reforma Agrária do Piauí), apresentando a experiência do PACRA;

Palestra sobre Turismo Comunitário – Associação do Assentamento Coqueirinho no FestCine Pacoti, em Pacoti -CE;

Difusão da arte e da cultura dos assentamentos – Participação em Festivais, Mostras e Seminários

  •   I Salão Nacional dos Territórios Rurais com a Exposição Fotográfica “Uma Terra Onde Corre Leite e Mel”,
  •        oficina sobre cultura e Desenvolvimento com Silma magalhães – coordenadora do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária / 
  •        Apresentação  Reisado do Mestre Zé Augusto;
  • Festival dos Inhamuns/ Crateús e Arneiroz; 
  • XIII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga;
  •  II Encontro Mestres do Mundo, na cidade de Limoeiro do Norte;
  • Participação na Mostra de Cultura do Brasil e Economia solidária (TEIA) – Bienal das Artes/ São Paulo;
  • XXI Escambo de Teatro de Rua- Janduís – RN; 
  • Mostra de Arte e Cultura no Assentamento Cachoeira do Fogo (Independência-CE), onde o Reisado do Mestre Zé Augusto recebeu o Reisado do Assentamento Ipueira da Vaca (Canindé-CE).
  • Participação na Teia Nacional de Cultura em São Paulo/SP

 

Galeria:

Salão Nacional dos Territórios

2007

As atividades do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária, em 2007, estiveram voltadas para a implementação das demandas definidas no II Seminário de Arte e Cultura na Reforma Agrária

 Comemorando quatro anos de existência, o projeto teve seu ápice no que se refere à  articulação com as políticas públicas de cultura, com  a vinda do Secretário de Programas e Projetos Culturais do Ministério da Cultura, Célio Turino, ao assentamento Todos os Santos, num reconhecimento da arte e da cultura produzidas nos assentamentos de reforma agrária

Na parceria com a SDT  Secretaria de Desenvolvimento Territorial participamos da organização da “Oficina de Planejamento das Ações de Cultura e Comunicação nos Territórios do Ceará” e executamos o projeto “Oficinas de Capacitação em Cultura, Arte e Educação em Territórios Rurais”. 

Outra linha de ação ampliada, em 2007, foi a difusão do trabalho cultural desenvolvido nos assentamentos. Foram 14 eventos em vários municípios que contaram com a participação de  mais de 17 grupos culturais, somando mais de 40 apresentações e alcançando grande visibilidade no estado e nos meios de comunicação. Destacamos, aqui, a realização da Mostra Paralela de Arte e Cultura na Reforma Agrária, no III Festival dos Inhamuns, realizada no assentamento Mucuim, em Arneiroz, e a participação na IX Mostra Sesc Cariri de Cultura, onde o Grupo Muc’Art circulou com o espetáculo “Os Sons do Mucuim”, em quatro cidades do Cariri. Além disso, a exposição fotográfica “Uma Terra Onde Corre Leite e Mel” foi montada em quatro eventos culturais, alcançando um público alvo de mais de 5.000 visitantes, na sua maioria, pessoas que nunca tiveram contato com a reforma agrária.

 

Atividades de articulação interinstitucional 

  • Reunião do superintendente substituto do INCRA, Djalma e da coordenadora Silma Magalhães com o secretário nacional de cultura da SPPC/MINC Célio Turino e o secretário estadual de cultura, Auto Filho tendo por objetivo a apresentação de uma proposta de apoio e de parceria com o INCRA no fortalecimento das ações culturais nos assentamentos;
  • Visita do secretário Célio Turino ao Assentamento Todos os Santos/Canindé, organizada pelo PACRA, com a participação de mais de 500 pessoas e realização da noite cultural Todas as Vidas, Todas as Artes.
  • Organização e coordenação da reunião com Célio Turino, secretário nacional de cultura da SPPC/MINC, Auto Filho e os movimentos sociais do campo, para apresentação da proposta da Rede de Cultura dos Povos da Terra;

 

Atividades Formativas 

  • Palestra da coordenadora Silma Magalhães no seminário temático “A Articulação entre Cultura e Comunicação no Fortalecimento do Desenvolvimento Territorial”,BRASÍLIA promovido pela SDT e pela SPPC (MinC);
  • Projeto Cine Vídeo no Teatro José de Alencar. Palestra com a coordenadora do Projeto sobre arte e cultura na reforma agrária, com a exibição das fotos da exposição “Uma Terra onde Corre Leite e Mel”.
  • Elaboração e aprovação do Projeto “Sertão da Tradição” – Programa Petrobras Cultural. O projeto tem como objetivo o registro sonoro, literário e audiovisual dos reisados dos assentamentos Ipueira da Vaca, Reisado da família Ramos, Lagoa da Manga, reisado Boi coração, mestre Antonio Ferreira, Poço da Onça, reisado de Manoel Torrado e Cachoeira do Fogo, reisado do Mestre Zé augusto. Projeto realizado em parceira com o Caldeirão das Artes;
  • Realização de cursos e oficinas artísticas – convênio INCRA/SEBRAE
  • Intercâmbios: XXII Escambo Popular Livre de Rua, em Carnaúba dos Dantas-RN;
  • Participação na Teia Nacional de Cultura em Belo Horizonte/MG com o tema “tudo de todos”

 

Difusão da arte e da cultura dos assentamentos – Participação em Festivais, Mostras e Seminários

  • III Encontro Mestres do Mundo  Apresentação dos grupos dos assentamentos– Limoeiro do Norte
  • VI Bienal Internacional de Dança do Ceará – intercâmbio dos  grupos de dança 
  • III Festival dos Inhambus – Realização em parceria com o Festival da Mostra paralela de Arte e Cultura na Reforma Agrária no assentamento Mucuim – Arneiroz
  •  IX Mostra SESC Cariri de Cultura   participação do grupo Mucarte no Circuito patativa do Assaré 
  •  IX Mostra SESC Cariri de Cultura – montagem da exposição fotográfica Uma Terra onde corre Leite e Mel  – Fotografo Leonardo Melgarejo  –  Teatro Municipal do Crato
  • IV Semana de Humanidades da UFC  Participação dos grupos artísticos na programação cultural  
  • IV Semana de Humanidades da UFC  –  MAUC montagem da Exposição Fotográfica Uma Terra Onde Corre Leite e Mel – Fotografo Leonardo Melgarejo 
  •  Teia 2007 “Tudo de Todos” – Belo Horizonte – o maior encontro da diversidade cultural do país.

 Encontro Mestres do Mundo – Grupos Culturais

Exposição Uma Terra Onde Corre Leite e Mel

Mostra Sesc Cariri de Cultura – Mucarte e Exposição Uma Terra Onde Corre Leite e Mel

2008

As atividades do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária, em 2008, avançaram significativamente rumo a  uma ação nacional do Incra. A experiência do Projeto foi  socializada no I Fórum Nacional de Dirigentes do INCRA e no Encontro Nacional dos Comunicadores do INCRA, em Brasília. Esses espaços foram determinantes para uma maior visibilidade  do PACRA nacionalmente.Outro momento relevante  foi a participação na I Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável, ocorrida em Olinda.

Como resultado desse processo, foi publicada pelo presidente do INCRA, em setembro a Portaria de N° 331,  que instituiu o Grupo de Trabalho de Arte e Cultura na Reforma Agrária, com o objetivo de elaborar uma proposta de inserção das atividades de arte e cultura nos assentamentos.

Além do espaço institucional no INCRA o Projeto manteve e ampliou  a parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, através da SDT e  com o NEAD.

Secretaria de Desenvolvimento Territorial – Projeto Arte, Cultura e Educação: Fortalecendo os Territórios da Cidadania, a ser realizado em 07 assentamentos, incluindo também as atividades de constituição dos Comitês de Cultura dos Territórios da Cidadania.

NEAD – Núcleo de Estudos do Desenvolvimento Agrário – para montagem e circulação da Exposição Fotográfica Uma Terra Onde Corre Leite e Mel, em 08 estados.

       Outra articulação relevante se deu junto ao Projeto São José, que garantiu  a construção de três da Casa de Cultura Comunitária, uma ação inovadora nos assentamentos de Todos os Santos e Tiracanga (Canindé) e Mucuim (Arneiroz),

 Avançamos nas ações  de visibilidade  do PACRA  em âmbito  local e nacional. Ou seja, temos uma experiência construída localmente,  enraizada nas comunidades assentadas e com grande capacidade de construir parcerias e que contou com o apoio das gestões da Superintendência do INCRA no Ceará. Fatores esses que foram decisivos para que o Projeto conquistasse seus objetivos, que é antes de tudo uma conquista da reforma agrária e dos jovens, homens e mulheres, que produzem nos seus assentamentos beleza e arte e nos mostram que é possível viver no campo e ser feliz.

Atividades Desenvolvidas 

  • Celebração da Parceria com a SDT (Secretaria de Desenvolvimento Territorial), com a aprovação do projeto “Fortalecendo a Arte, a Cultura e a Educação nos Territórios Rurais”, tendo como entidade executora o Grupo formosura de Teatro
  • Parceria com o NEAD (Núcleo de Estudos do Desenvolvimento Agrário), para uma remontagem e circulação da exposição fotográfica “Uma Terra onde Corre o Leite e o Mel”
  • Montagem da Exposição fotográfica “Uma Terra onde Corre o Leite e o Mel” na FENAFRA Feira Nacional de Reforma Agrária e Agricultura Familiar no Rio de Janeiro
  • Apresentação pela coordenadora Silma Magalhães da experiência do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária no Fórum Nacional de Dirigentes do INCRA e no Encontro Nacional dos Comunicadores do INCRA, em Brasília, respaldando o Projeto em âmbito nacional
  • Articulação junto a SDA Secretaria de Desenvolvimento Territorial para o apoio às atividades culturais com recursos do Projeto São José, como fruto dessa articulação foram financiadas as Casas de Cultura Comunitária do Assentamento Todos os Santos e Tiracanga em Canindé, e reformada a Casa Sede do Assentamento Mucuim II.
  • Participação na I Conferência Nacional de Desenvolvimento Territorial Solidário com a Exposição Fotográfica Uma Terra Onde corre Leite e mel e apresentação do espetáculo Sons do Mucuim – Grupo de Teatro MUCARTE em Olinda /Recife
  • Realização de cursos e oficinas com os grupos culturais através do convênio INCRA/SEBRAE;
  • Difusão da arte e da cultura dos assentamentos – Participação em Festivais, Mostras e Seminários.
  • Participação na Feira Cearense de Agricultura Familiar – FECEAF
  • Assentamentos participantes: Cachoeira do Fogo, Jucá Grosso, Lagoa do Mineiro, Santa Luzia, Tiracanga.
  • A I Feira Estadual da Agricultura Familiar (Feceaf) o evento teve por objetivo fortalecer o setor rural, por meio da divulgação e comercialização dos seus produtos. O evento foi promovido pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece).
  • Participação dos grupos culturais na Expoece- Espaço Da Agricultura Familiar
  • Participaram os grupos: Dramistas do Assentamento Lagoa do Mineiro- Itarema, Banda de lata Criança Feliz (Assentamento Recreio – Quixeramobim), Grupo de Dança Raízes da Terra (Tiracanga – Canindé), Coivaras do Forró (Assentamento Santa Luzia – Caucaia), Reisado Mestre Zé Augusto (Assentamento Cachoeira do Fogo – Independência), Grupo de Capoeira (Assentamento Santa Bárbara – Caucaia), Grupo Raízes do Coco e Banda Brilho da Lua ambos do Assentamento Sabiaguaba, em Amontada;
  • Participação na Teia Nacional de Cultura em Brasília/DF com o tema “iguais na diferença”;

.

 

Galeria:

Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Mucarte

2009

Consolidando o reconhecimento institucional do PACRA, foi criado, em 2009, o Grupo de Trabalho Nacional de Cultura na Reforma Agrária, pelo INCRA, de acordo com a Portaria de N° 331, confirmando a importância da cultura nos assentamentos e oficializando esse entendimento junto ao órgão federal.

Para além da instituição, o projeto seguiu avançando e atuou como co-realizador do I Festival Terra Viva, Terra de Arte e das demais ações do Pontão de Cultura Terra Viva, Terra de Arte, do Assentamento Todos os Santos. O PACRA seguiu prestando assessoria e acompanhando as atividades dos Pontos e do Pontão de Cultura e dos demais grupos artísticos dos assentamentos, articulando as Casas Rurais de Inclusão Digital, junto ao Núcleo de Estudos do Desenvolvimento Agrário, bem como iniciou as atividades de arte, cultura e educação para fortalecimento dos territórios da cidadania em parceria com o Grupo de Teatro Formosura que incorporou assentamentos e grupos de música e cultura popular que demandaram junto ao PACRA o apoio a suas iniciativas, desse processo foi criado o grupo  musical  Balanço do Coqueiro do assentamento Maceió e a publicado a série de cordéis, Maceió em Cordel. 

A inclusão do financiamento de infra-estrutura e equipamentos não agrícolas pelo Projeto São José/BIRD requereu várias reuniões e a permanente mobilização das associações comunitárias dos  assentamentos envolvidos para a garantia da sua aprovação e liberação dos recursos. Em novembro de 2009, o então Secretário de Desenvolvimento Agrário Camilo Santana assinou o convênio com as três associações.

 

Galeria:

 

2010

As atividades do PACRA têm como marco em 2010 a inauguração das Casas de Cultura dos assentamentos Mucuim II em Arneiroz, e Todos os Santos e Tiracanga  em Canindé, construídas com recursos do Projeto São José – SDA/BID representam, quer da perspectiva estrutural ou simbólica, uma nova realidade nesses assentamentos e nos seus municípios. Dotadas de um excelente espaço físico e de uma estrutura cênica razoável, são equipamentos que rompem com a lógica das políticas para o campo, sempre afeitas a financiar infraestrutura produtiva e a impor uma lógica de subsistência para as populações rurais. Encontram-se nessas comunidades os melhores equipamentos culturais dos referidos municípios.

O grande desafio para 2011 é garantir o funcionamento dessas casas com programação permanente e de qualidade e que estas sejam apoiadas efetivamente pelos governos estadual e municipal. Em Canindé, um passo significativo foi alcançado com a assinatura do convênio entre a Prefeitura Municipal de Canindé e a Associação do Assentamento Todos os Santos em apoio à manutenção da Casa.

Outro fato extremamente significativos para o PACRA foi a inclusão, na pauta de demandas da FETRAECE, junto ao INCRA-CE, do fortalecimento das ações de arte e cultura nos assentamentos, justificada pelos inúmeros resultados positivos constatados em várias comunidades, o que deu ao projeto uma nova expressão política e melhores condições internas de estrutura de trabalho. A importância da cultura para o desenvolvimento dos assentamentos passa a ser fator relevante nos processos de percepção e sensibilização da camada institucional e social, fator que tem possibilitado maiores avanços e conquistas para as áreas assentadas.

Somados a esse reconhecimento político e social, encetamos passos significativos com a participação no Seminário sobre as Dimensões Social e Cultural da ATES, que discutiu a concepção de cultura e desenvolvimento, as interfaces da cultura com as várias dimensões do desenvolvimento, bem como mostrou as várias experiências exitosas de cultura nos assentamentos. Nessa perspectiva de uma maior institucionalidade do Projeto outra iniciativa importante foi a inclusão no quadro das equipes de assistência técnica e extensão rural – ATER de profissionais de arte educação, que a partir de 2011 juntamente com os agrônomos, técnicos agrícolas, assistentes sociais e outros profissionais compuseram as equipes de ATER.

As parcerias

O encerramento do Projeto Sertão da Tradição com a produção e distribuição do KIT composto de Livro, Cd, DVD, cordel e o seu lançamento ocorrido em três espaços (Centro Cultural Dragão do Mar em Fortaleza; XII Mostra SESC Cariri de Cultura; e, Reunião Especializada da Agricultura Familiar REAF, em Brasília, com a presença de 12 países), proporcionou ao PACRA e às manifestações tradicionais dos assentamentos, uma maior visibilidade, além de possibilitar a distribuição do material para os mais diversos órgãos e entidades parceiras e a sua veiculação em redes locais e nacionais de TV.

As atividades de elaboração de projetos, acompanhamento da implementação de projetos culturais, e atividades de formação artística e cultural, foram realizadas da melhor forma possível, mas considerando o crescente volume de trabalho, a ampliação das demandas e a pequena equipe de trabalho, algumas atividades deixaram a desejar tais como um melhor acompanhamento aos 06 Pontos de cultura. Conseguimos, entretanto, estar presentes em momentos importantes e atender as solicitações mais emergenciais. Uma outra dificuldade foi o fato dos assentamentos ainda não estarem com as Casa Digitais instaladas e de apenas dois pontos de cultura possuírem acesso a internet, dificultando a comunicação e o funcionamento de uma rede virtual.

Entre as atividades em âmbito nacional, foram focadas as articulações junto ao Ministério da Cultura para celebração de um Termo de Cooperação Técnica junto ao INCRA, visando estruturar o PACRA em oito estados, o qual se encontrava na Secretaria Executiva do MINC para assinatura. Outra ação relevante foi o convite do secretário de cultura da Bahia, para a implementação das ações de cultura nos assentamentos de reforma agrária do Estado, o que resultou na elaboração de um Termo de Cooperação e na elaboração e aprovação junto ao Programa BNB de Cultura do Projeto de Fortalecimento do Samba de Roda nos assentamentos do município de Santo Amaro no Recôncavo baiano. Estes assentamentos também desenvolviam projetos turísticos apoiados pelo Programa Terrasol.

Podemos afirmar que 2010 consolidou as ações e a proposta do Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária, em âmbito local, ao projetá-lo nacionalmente. Ou seja, temos uma experiência construída localmente,  enraizada nas comunidades assentadas e com grande capacidade de construir parcerias que contou com o apoio das gestões da Superintendência ao longo dos sete anos de sua existência. Estes fatores decisivos para essa conquista, foram antes de tudo uma conquista da reforma agrária e dos jovens, homens e mulheres, que cultivam em seus assentamentos beleza e arte nos mostrando que é possível viver no campo e ser feliz.

Atividades Desenvolvidas 

  • Fortalecimento do GT Nacional de Cultura na Reforma Agrária;
  • A Arte e a Cultura se tornaram uma pauta dos movimentos sociais do campo (MST, FETRAECE, CPT), tendo o PACRA como referência;
  • Lançamento do Kit “Sertão da Tradição”, que é o produto final do projeto “Sertão da Tradição: registro e difusão de manifestações culturais tradicionais em assentamentos da reforma agrária do sertão cearense”, que se constitui como uma continuidade do apoio e mapeamento cultural realizado pelo Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária (Incra/CE) e do Programa BNB de Cultura, possibilitando uma ação subseqüente desse trabalho.
  •  Intercâmbio  na área de circo social com a ONG Crescer e Viver do Rio de janeiro, coordenadora da Rede latino Americana de Circo Social  
  • Formação de Jovens Educadores de Circo Social  no Assentamento do Mucuim, Arneiroz (CE), no âmbito do Projeto Arte e Cultura nos Assentamentos de Reforma Agrária, como parte das atividades do PROJETO ARTE, CULTURA E EDUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA: FORTALECENDO OS TERRITÓRIOS DA CIDADANIA. 
  • Participação na Teia Nacional de Cultura em Fortaleza com o tema “tambores digitais”
  • Participação no I Encontro Sulamericano das culturas populares;
  • Participação no II Encontro Nacional das políticas públicas das culturas populares

 

Galeria:

Caravana Dona Zefinha vai aos assentamentos – Assentamento Zé Lourenço – Ocara

lançamento do Kit Sertão da Tradição – Silma Magalhães e Oswald Barroso – Mostra SESC Cariri de Culturas –

Reisado do Congo Mestre Orlando – Mostra Sesc Cariri de Culturas

2011

No primeiro ano da gestão de Dilma Rousseff, ocorreram  mudanças significativas  no Ministério da Cultura que impactaram  diretamente o Programa Cultura Viva – Pontos de Cultura,alvo de um conjunto de diligências acionadas pela  Controladoria Geral da União CGU, que  praticamente paralisa as ações do Programa, sendo  o PACRA diretamente atingido na continuidade das  suas ações com o  não repasse  dos recursos destinados ao Pontão de Cultura, o qual reunia  14 grupos culturais/ Pontos de Cultura,  e prévia ao longo de três anos a criação de bibliotecas comunitárias, parques infantis  e a continuidade dos processos de formação, criação e produção alicerçados na pedagogia de Paulo Freire. 

 

Seguimos, entretanto, com as nossas metodologias  de construção de uma arte tecida no campo e que tem como um dos grandes desafios ampliar a visão e a concepção do desenvolvimento no campo, marcado profundamente pela visão maniqueísta do campo como lugar do atraso, da predominância da exclusão aos direitos à saúde, educação e cultura, e da forte presença do patriarcado, mas também como um lugar da emergência das mulheres e dos jovens como protagonistas desse novo campo que se constrói na diversidade dos seus sujeitos. Nesse percurso além da participação efetiva e autônoma dos jovens e mulheres, construímos ações territoriais, que ampliaram a concepção e o arcabouço da cultura. Em 2011 desenvolvemos um conjunto de oficinas e cursos tendo como eixos a cultura, identidade,cidadania  e a convergência das políticas de desenvolvimento territorial e cultural, com apoio à constituição dos Comitês Territoriais de Cultura, mobilizando comunidades, grupos artísticos e culturais dos municípios.

 Um outro marco importante foi o fortalecimento da parceria com o Nóis de Teatro com a  montagem  da  peça Sertão.doc, a partir da pesquisa do universo da cultura popular camponesa realizando uma leitura contemporânea de expressão cultural, e a defesa do território, e a luta contra os agrotóxicos, apresentando uma ampla pesquisa realizada em grupos de reisado de cinco assentamentos.

Em 2011  a Casa da Cultura da Reforma Agrária de Todos os Santos  inicia suas atividades como espaço de formação/educação e fruição cultural  com uma vasta programação artística articulada a partir do reconhecimento e valorização das identidades camponesas e do universo lúdico e da cultura popular em diálogo com grupos urbanos, tendo como público jovens, crianças e idosos do assentamento e comunidades vizinhas.

 

Atividades desenvolvidas:

  • Circulação do espetáculo Sertão.doc nos palcos da Bahia (Mostra SESC Pelourinho/ Salvador; Assentamento Bela Vista/ Santo Amaro);
  • Intercâmbio com o Grupo de Samba de Roda do Assentamento
  • Circulação do espetáculo Sertão no Quilombo Filipa no Maranhão 
  • Participação na Mostra SESC Pelourinho através do Seminário Campo e Cidade: olhares sobre Arte com técnicos de ATER do INCRA do Estado da Bahia e assentados (as) da Bahia
  • Parceria com o Nós de Teatro na realização de Encontro da Periferia e do Campo ENPECA realizado no assentamento Todos os Santos – Canindè
  • Parceria na concepção e realização da Programação da Casa da Cultura da Reforma Agrária do Assentamento Todos os Santos;
  • Jornada em Cultura e Desenvolvimento (Território da Cidadania de Canindé; Território da Cidadania Inhamuns/Crateús; Território da Cidadania Sertão Central; Território da Cidadania Vale do Curu/ Aracatiaçu);
  • Jornada de Apoio à constituição dos comitês territoriais de cultura (Território da Cidadania de Canindé; Território da Cidadania Inhamuns/Crateús; Território da Cidadania Sertão Central; Território da Cidadania Vale do Curu/ Aracatiaçu);

-Apoio de Ações culturais nos assentamentos;

-Montagem da peça “um zé qualquer também ama” do grupo Deu Zebra no Teatro/ Alto Santo;

– Realização do Terreiro Cultural – Assentamento Cachoeira do Fogo/ Independência; 

  – Oficinas de Audiovisual com os assentamentos da Rede PACRA

2012

Às vésperas de completar sua primeira década de vida, o PACRA  segue ampliando a visibilidade e reconhecimento da cultura viva comunitária da reforma agrária  e debatendo a importância do reconhecimento, valorização e incorporação dos saberes e fazeres da população assentada nas práticas socioeducativas da assistência técnica, na política de desenvolvimento territorial e na permanência e  resistência pela cultura como direito de cidadania dos povos do campo.

 

Atividades Realizadas 

 

  • Participação na  1ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, em Brasília, com  o espetáculo Sertão.doc  do Grupo Nóis de Teatro e “Narradores da Terra e do Fogo”, do grupo de teatro Carrapicho; 
  • Elaboração do Projeto  da MOSTRA 10 ANOS do PACRA; 
  • Continuidade das atividades do Projeto Arte,Cultura, Comunicação e  Educação nos assentamentos em parceria com a ACARTES;
  • Oficinas, Jornadas e cursos de comunicação e audiovisual;
  • Participação do PACRA com o NUAC no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental de Goiás Velho/ GO
  • Participação na Mostra de Cinema em Porangatu/GO

2013

Em 2013, o PACRA comemorou sua primeira década de resistências, sonhos e realizações. O momento  de culminância ocorreu com a solenidade na sede do INCRA  e a Mostra 10 Anos Arte e Cultura na Reforma Agrária com a programação cultural no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e na Escola Porto Iracema das Artes. Estiveram presentes  12 grupos artísticos dos assentamentos e um público estimado de 800 pessoas. Em 2013 estreou o espetáculo  “Santos e Demônios na Terra da Luz” – resultado da Escola de Teatro da Terra, que juntamente com o espetáculo Narradores da Terra e do Fogo do Grupo de Teatro Carrapicho e  Um Zé Qualquer  Também Ama  do Grupo Deu Zebra no Teatro  e alunos de Teatro do IFCE integraram a  Caravana  10 anos  Arte e Cultura na Reforma Agrária, uma parceria com o Instituto Federal do Ceará IFCE com o apoio do Ministério da Cultura. A caravana  percorreu 06 assentamentos no Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

Outro destaque deste ano foi a II Mostra Terreiro de Reis  com o patrocínio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial (SDT), tendo como parceiro local a Associação do Assentamento Cachoeira do Fogo, gestora  do Ponto de Cultura Sertão e Tradição, tornando-se o maior e único evento de difusão da cultura popular da região dos Inhamuns. A cobertura do evento ficou a cargo da equipe do Núcleo de  Audiovisual do Assentamento coqueirinho – NUAC.

O evento contou com a presença de cerca de 400 pessoas que vieram dos assentamentos vizinhos, comunidades próximas e da sede do município. Destacamos a presença de alunos, professores e diretores da Escola de Ensino Médio do Município. Foram distribuídos os folders e feito um registro do 10 anos do PACRA. No primeiro dia, a programação contou com a participação da Orquestra de Rabecas, Reisado mestre Zé Augusto (Assentamento Cachoeira do Fogo), Reisado da Várzea do Toco (Independência) e da Comunidade de Bom Sucesso (Novo Oriente)

  Neste mesmo ano, o espetáculo “HISTÓRIAS DA GENTE QUE É GENTE DO SERTÃO”, do grupo de Teatro Brilho do Sol do Assentamento Monte Orebe/ Canindé, financiado pelo Programa BNB de Cultura, estreou a peça em Canindé e outros municípios próximos, destacando a relevância da juventude dos assentamentos para a reforma agrária.

Outro evento importante, neste ano, foi à participação do PACRA no II Seminário Internacional de Teatro em Comunidade realizado entre 14 a 17 de Agosto em Florianópolis pela Universidade Estadual de Santa Catarina, com aprovação do artigo intitulado “A Experiência do Arte e Cultura na Reforma Agrária e a Escola de Teatro da Terra”

Vale destacar o fato inédito de que está participando de um encontro acadêmico, cuja  única experiência de natureza não acadêmica, era do PACRA tendo, a experiência do PACRA vínculo direto e constante com os sujeitos e territórios camponeses. A temática do evento de Teatro na comunidade fez um diálogo direto com o trabalho realizado pelo PACRA, se traduzindo como uma experiência importante marcante dentro do evento.

Ainda em 2013, participamos da Oficina Nacional do Programa Residência Agrária, que objetivou discutir e apresentar os 32 projetos aprovados nas áreas de arte, cultura e educação do campo através do Edital INCRA/CNPQ.

           Outra atividade importante foi a  participação numa reunião com a coordenação do PRONERA  e integrantes do GT de Cultura de Brasília, onde apresentamos o Plano de Trabalho dos estados e as atividades da coordenação nacional.

Finalizando as comemorações dos 10 Anos do PACRA vivenciando um intercâmbio artístico e político  com a Companhia do Latão, no assentamento Todos os Santos,  e a gravação  do filme Ópera dos Vivos – sociedade Mortuária com  a participação dos atores e atrizes da Escola de Teatro da Terra  e a apresentação do espetáculo Ópera dos Vivos no Terreiro da Casa Sede.

 

Outras atividades organizadas e articuladas  pelo PACRA

  • Montagem e Circulação Brilho do Sol em Monte Obere/Canindé;
  • Montagem e Circulação Deu Zebra no Teatro / Alto Santo;
  • Festival de Música Sons e Cores da Resistência em Caetanos de Cima/ Amontada; 
  • Encontro das Dramistas no Assentamento Lagoa do Mineiro/ Itarema;
  • Participação do PACRA com o NUAC, Ciclo Vida e Ponto de Cultura de Santana no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental de Goiás Velho/ GO;
  • Participação do PACRA, NUAC, Ciclo Vida e Ponto de Cultura de Santana na Mostra de Vídeo dos Assentamentos do Ceará em Porangatu/GO;
  • Festival dos Inhamuns / 10 anos PACRA – Assentamento Mucuim – Arneiroz;
  • Palestra “Teatro da Terra e Reforma Agrária” com Sérgio de Carvalho;
  • Oficinas ACARTES – Rede de Audiovisual.

2014

Em 2014, o Pacra desenvolveu articulações importantes com a Universidade Federal do Ceará (UFC) e com a Universidade Federal do Cariri (UFCA) para construção de ações de inclusão digital, educomunicação e formatos radiofônicos para os assentamentos da rede PACRA. Na UFC, o parceiro foi o laboratório Multimeios que executou o projeto @Assentamentos Digitais no PROEXT, mobilizando vários assentamentos em uma articulação conjunta com a FETRAECE e o MST.

Na articulação institucional com a UFCA, foi elaborado o projeto “Nas Ondas da Terra: radiodifusão comunitária em assentamentos rurais”, desenvolvido pela universidade sob a coordenação da professora Rosane da Silva Nunes nos assentamentos.

Neste mesmo ano, o PACRA participa da Teia Nacional de Cultura em Natal/RN juntamente com representantes do Pontão de Cultura Terra Viva, Terra de Arte, Ponto de Cultura Santana Terra da cultura, Ponto de Cultura Nós Artistas da Vida, Ponto de Cultura Raízes da Terra  e Ponto de Cultura Sertão da Tradição atividades do PACRA

  • Circuito Cearense de Teatro da Terra(Cuca da Barra do Ceará; Campus do IFCE Fortaleza; Teatro Carlos Câmara) 

Circulação dos Espetáculos “Narradores da Terra e do Fogo” (Todos os Santos/Canindé) e “Um Zé Qualquer Também Ama” (Ipanema/Alto Santo. Projeto financiado pelo Prêmio Funarte de Artes na Rua 

  • Participação nos lançamentos dos projetos da UFC e UFCA juntamente com a coordenação  
  • Assessoria nas atividades do Projeto Reisado infantil  Nel Ramos selecionado no Prêmio de Culturas Populares/2014

2015

O PACRA   na sua concepção de cultura viva comunitária reconhece a arte, os saberes e fazeres dos assentados, a memória e a história  como um dimensão   estratégica  a ser incorporada na política de educação do campo e da assistência técnica. Nessa  incorporação na política de ATER da arte e cultura o PACRA conquistou através da ATER/INCRA a contratação de profissionais do campo das artes para o desenvolvimento de ações, bem como, o fortalecimento de coletivos culturais e artísticos de assentamentos do Ceará. 

Atividades Desenvolvidas 

 Avaliação e  planejamento  das ações do PACRA junto às equipes de  assistência Técnica e Extensão Rural – ATER / Núcleos Operacionais – NOP 

  NOP SANTANA DO ACARAÚ – EQUIPE CONTRATADA  ATER/INCRA TERRA TRÊS

  Participação no Seminário sobre Juventude  Assentada

 Facilitação de oficina de Planejamento das ações de Arte e Cultura dos assentamentos de Santana  do Acaraú e Sobral a convite da coordenação da ATER

 Elaboração participativa  do Plano de Cultura 2015/2016

 Apoio na implementação das atividades do Plano de Arte e Cultura do NOP :

  Realização de 02 Oficinas de Teatro de Rua – PA Ipuirinha Ouripuri / Santana do Acaraú

  Oficina de Teatro – PA Lagoa do Serrote / Santana do Acaraú

  Oficina de Comunicação e Cultura – PA Conceição Bonfim e Lagoa do Serrote / Santana do Acaraú

 NOP CANINDÉ EQUIPE CONTRATADA  ATER/INCRA CACTUS

 Participação em reunião da coordenação e equipe técnica para apresentação do PACRA e discussão sobre a proposta de construção participativa de um Plano de arte e Cultura  com os assentamentos do NOP articulada pelo Assentamento Todos os Santos.

 Facilitação das oficinas na construção do Plano de Arte e Cultura do NOP que contou com a participação de jovens artistas e lideranças dos assentamentos de Monte Orebe, São Paulo, Todos os Santos, Santana da Acal e no primeiro momento com representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Canindé;

 NOP TABOLEIRO DO NORTE/ ALTO SANTO  EQUIPE CONTRATADA ATER/INCRA IRDSS

 Reunião com a  coordenação do NOP Tabuleiro/Alto Santo  para apresentação da proposta de ação cultural na região, visando dar continuidade ao processo de fortalecimento e ampliação do trabalho de arte e cultura nos assentamentos da região, que vinham sendo apoiados pelo PACRA

    Apoio na implementação das ações do Plano de Arte e Cultura do NOP :

 – Intercâmbio do Assentamento Riacho Seco Vila I e II, Assentamento Ipanema município de Alto Santo e Assentamento Terra Nova município de Morada Nova.

– Oficina de Iniciação Às Artes – PA Lagoa Grande/ Tabuleiro do Norte;

– Oficinas de Teatro de Rua – PA Riacho Seco / Alto Santo;

– Oficina de Iniciação às Artes – PA Riacho Seco / Alto Santo;

– Oficina de Teatro de Rua – PA Ipanema / Alto Santo.

 NOP/ METROPOLITANO  EQUIPE CONTRATADA ATER/INCRA COOPASAT

 Reunião com a coordenação da ATER e a arte educadora da equipe com o objetivo de conhecer a proposta de trabalho da COPASAT e avaliar as possibilidades de integração e ação conjunta na area de arte e cultura.

  PARCERIAS  INTERINSTITUCIONAL

 UFC – CHAMADA MCTI/MDA-INCRA/CNPq – FORTALECIMENTO DA JUVENTUDE RURAL

 Projeto Meio Ambiente, Saúde, Comunicação e Cultura – Transformações Territoriais e a Juventude no Sertão Central Cearense

Objetivo: Realização de cursos de formação, produção de conhecimento e desenvolvimento técnico-profissional articulando e integrando experiências, acesso às tecnologias sociais e formação cidadã para a juventude rural do sertão central cearense.

Assentamentos: Ipueira da Vaca, Todos os Santos (Canindé), Riacho das Pedras e Saco do Belém (Santa Quitéria)

número de Jovens envolvidos – 30 jovens  que participam de formação   nas áreas de meio ambiente, saúde e cultura, recebendo bolsas de 400,00 e 160,00

 Cia do Latão – São Paulo – SP

Lançamento do Filme Ópera dos Vivos – Assentamento Todos os Santos – Canindé

Realização de Pesquisa em Cultura Popular nos Assentamentos Santana, Cachoeira do fogo e Ipueira da Vaca

Elaboração de um pré projeto de ação política pedagógica na área cultural com a CIA do Latão voltada para a continuidade da Escola de Teatro.

Pontos de Cultura / SECULTCE

Lançamento  do Ponto de Cultura Casa da Cultura da Reforma Agrária/ Assentamento Todos os Santos/Canindé

Lançamento do Ponto de Cultura  PA Poço da Onça – Poço da Cultura  / Miraíma

CIRCULAÇÃO NARRADORES DA TERRA E DO FOGO / SECULT CE

Circulação do Espetáculo “Narradores da Terra e do Fogo” (Todos os Santos/Canindé) nos Assentamentos de Canindé. Financiado pelo Edital Incentivo às Artes / SECULT-CE 

REDE DE AUDIOVISUAL DO CAMPO

 RACA  – Recebimento dos Equipamentos do KIT de Audiovisual  dos Assentamentos, que ficou sob a guarda da Associação do assentamento Todos os Santos

Atividades de Registro de audiovisual realizadas;

Cobertura do lançamento do Ponto de Cultura de Todos os santos – NUAC 

Cobertura do Terreiro de Reis do Assentamento Caetanos de cima- GAVC

Cobertura do Acampamento da juventude – Assentamento Maceió-  GAVC 

Cobertura das últimas etapas do Projeto em parceria com o Núcleo Tramas/UFC – 2016 – Núcleo de Audiovisual  de Todos os Santos. 

Articulação com a UNIFOR Curso de Audiovisual e Novas Mídias para a realização de um Programa de Extensão com o INCRA  direcionado para os  assentamentos integrantes da RACA.

 COMUNICA DIVERSIDADE / MINC

Elaboração  e Assessoria na Realização de Projeto De Comunicação no Assentamento Barra do Leme / Pentecoste / Projeto financiado pelo Prêmio Comunica Diversidade do Ministério da Cultura.

OUTRAS AÇÕES

 Aprovação de artigo sobre a Experência do PACRA no Seminário Internacional de Teatro e Comunidade realizado na cidade do Porto/Lisboa

Reunião com Secretário de Cultura do Estado  Guilherme Sampaio para apresentação do PACRA e articulação de ações em parceria com o INCRA

Apresentação do Espetáculo Narradores da Terra e do Fogo  e do Grupo Musical Flor da Açucena na Solenidade Comemorativa do Aniversário de 45 anos do INCRA, realizada na sede da Superintendência do INCRA/CE

 Apresentação do Espetáculo Narradores da Terra e do Fogo na Abertura  do Seminário Nacional  de Extensão Territorial, que contou com a presença da presidente do INCRA e gestores de várias regionais do INCRA.

 Participação no Lançamento Nacional da Caravana das Artes e na oficina temática sobre teatro.

 Visita da equipe de Cultura do MST do Estado do Paraná  para conhecer a experiência do PACRA e visitar assentamentos Recreio e Todos os Santos, visando subsidiar  a elaboração de uma proposta de arte e cultura com o INCRA/PR

2016

No ano do golpe contra Dilma Rousseff, e a chegada de Michel Temer à presidência da república entre suas primeiras medidas enfrentamos a reforma ministerial com a extinção  do MINC, por meio da medida provisória 726/16. A extinção do Ministério gerou uma grande mobilização dos artistas em todo o Brasil, com a criação do Movimento Ocupa Brasil MINC e a ocupação das sedes do IPHAN em praticamente todos os Estados. No Ceará o Movimento Ocupa Ceará Minc teve uma grande adesão dos artistas e grupos culturais. Os Pontos de Cultura  e grupos artísticos da reforma agrária estiveram presentes em vários momentos da luta e resistência pela  permanência do MINC e a manutenção das políticas culturais. Mediante as pressões o governo Temer recua e o MINC permanece, mas  suas políticas e programas vão sendo paralisados. 

Esse cenário configura uma nova realidade das políticas públicas de cultura, reforma agrária e desenvolvimento rural, impactando diretamente nos processos sociais, culturais e politicos. No PACRA definimos a estratégia de articular, muitas vezes com recursos próprios encontros dos  pontos de cultura  e coletivos,  inserindo no planejamento das atividades locais, atividades de intercâmbios, mostras de teatro,e circulação de espetáculos que  possibilitasse o encontro dos Pontos de cultura e coletivos.

Uma outra atividade relevante foi a parceria com o escritor Gylmar Chaves para o Lançamento, com palestra e distribuição gratuita do Livro Bárbara de Alencar  nos assentamentos de: Todos os Santos, Mucuim, Barra do Leme, Lagoa do Mineiro, Caetanos de Cima, Jucá Grosso, Bom Jesus e Terra Nova

Neste ano  o Assentamento Mucuim/Arneiroz sediou uma temporada do espetáculo o Duelo, com a presença da atriz Camila Pitanga, realizando a Rede PACRA uma atividade com a presença de todos os grupos de teatro da rede. 

2017

 

 

 

 

Diante das dificuldades e dos retrocessos políticos no âmbito da cultura estabelecidos a partir do golpe de estado, esvaziando e paralisando as atividades do Ministério da Cultura, 2017 foi um ano de atividades voltadas à uma rearticulação e reaproximação dos grupos e pontos de cultura que compunham a Rede Arte e Cultura na Reforma Agrária. Os encontros foram bimestrais e aconteceram nos assentamentos Terra Nova, em Morada Nova; Coqueirinho, em Fortim e Mucuim, em Arneiroz. Nestes encontros, além de oficinas realizadas pelas pessoas participantes, também se discutia o cenário político, pautando os desafios em fazer arte e cultura na reforma agrária nesse cenário

 

A aproximação com o Movimento de Cultura Viva Comunitária do Equador, nos impulsionou a participar do IV Congresso latino Americano de Cultura Viva Comunitária em Quito realizado em novembro de 2017. Como parte da programação  ministramos  uma palestra sobre Memória e Transmissão de Saberes na Cultura Popular do Reisado e montamos  a Exposição Fotográfica Reisado da Família Ramos, fotos de Bete Augusta, Alex Hermes e Leonardo Melgarejo. O congresso com o Tema Ser Comunitário reuniu 17 países que compartilharam  e potencializaram suas experiências e saberes. No congresso ocorreram festivais artísticos, círculos da palavra, exposições, feiras  e circuitos culturais.

Atividade realizadas 

Participação a convite da Universidade  Federal do Cariri (UFCA),  no evento de encerramento do projeto Voz da Juventude do Programa de Residência Agrária Jovem cujas atividades estavam voltadas para a área de comunicação e desenvolvimento.

Organização do  II ciclo do lançamento do livro  do escritor Gylmar Chaves  com palestra   e distribuição gratuita do Livro Bárbara de Alencar nos assentamentos Santana/ Monsenhor Tabosa, Coqueirinho/Fortim e Valparaíso/Tianguá.

Continuidade das atividades dos Pontos de Cultura Casa da Cultura da Reforma Agraria, Mucuim de Todas as Artes e Trilhas da Liberdade/Coqueirinho

 

2018

 No ano em que a frágil democracia brasileira  não resistiu ao ataque das forças conservadoras organizadas nas suas frentes políticas, midiáticas e religiosas e elegeu um presidente anti País, celebramos  15 anos de  RE (EXISTÊNCIA ) do PACRA com a presença de vários pontos de cultura, coletivos artísticos, ex-estagiários, colegas e gestores do INCRA,  artistas parceiros que ao longo dessa jornada construíram conosco a trajetória do PACRA. Inicialmente fizemos uma retrospectiva da nossa história de 15 anos de caminhada de uma arte que se faz nas margens, que abraça e se propõe a construir o bem viver. Celebramos  a arte que transforma vida, os afetos e a solidariedade, finalizamos esse momento com a entrega de uma muda de árvore simbolizando a  mãe terra e a nossa caminhada como raiz, tronco, flores, espinhos e frutos.

Esse momento encerrou as atividades do Projeto PACRA na Superintendência  Regional do INCRA. Diante do  novo cenário institucional, não haveria mais lugar para  iniciativas de produção de vida,  arte e educação na reforma agrária.O nosso desafio coletivo era seguir a esperançar  e nos fortalecermos cada vez mais como Rede Autônoma de Arte e Cultura na Reforma Agrária

Atividades 

  • Celebração  dos 15 anos do PACRA  
  • Reconhecimento do Reisado de Ipueira da Vaca como Tesouro Vivo
  •  Participação no Encontro dos Mestres do Mundo  – Aquiraz
  • Oficina de teatro político  com Sérgio de Carvalho – Assentamento Todos os Santos – Canindé
  • Intercâmbio da  Cia Andante de Teatro do  Rio de Janeiro-  oficinas de teatro e apresentação de espetáculo nos Assentamentos Mucuim – Arneiroz, Todos os Santos  e  Transval – Canindé

2019

No primeiro ano do governo Bolsonaro com os ataques permanentes à cultura e a perseguição aos artistas,elegemos na rede que precisávamos nos mantermos atentos e fortes,  alimentado a esperança e a força na digna raiva  dos movimentos sociais de  Cultura viva, ampliando os intercâmbios com a América Latina.

 

Atividades

  • Participação no Fórum Cearense Cultura Viva com o relato da nossa participação no IV Congresso Latino Americano de cultura Viva Comunitária
  • Mobilização para aprovação da Lei Cultura Viva do Ceará  
  • Certificação de 05 Pontos de Cultura da Reforma Agrária
  • articulação juntamente  com a Comissão Cearense de Cultura Viva para a participação dos Pontos de Cultura do Ceará no V Congresso latino Americano de Cultura Viva Comunitária 
  • Participação  no  V Congresso latino Americano de Cultura Viva Comunitária – Argentina /
  • Intercâmbio com o movimento cultura viva comunitária da Colômbia 
  •  intercâmbio com o Centro Cultural de Moravia – Medellin
  •  Visita a Canchimalos – Medellín 
  • Intercâmbio com La Casa Amarilla – Medellin
  • Intercâmbio com Puento de Cultura La Mancha Taller de Arte – San Martim de Porres – Lima /Peru
  • Participação no Congresso Nacional Cultura Viva  Ecuador em Olón

Galeria:

Mostra 10 anos de Arte e Cultura na Reforma Agrária

2020

Em 2020, diante do contexto epidêmico da covid-19 aconteceu a mobilização política e coletiva dos grupos artísticos e culturais da Rede PACRA pela efetivação da Lei Aldir Blanc e a rearticulação dos coletivos culturais e artísticos dos assentamentos, se estabelecendo o engajamento de duas aldeias indígenas (Aldeia Gameleira  Povo Kanindé/Canindé e Aldeia Feijão Povo Karão Jaguaribaras/Aratuba) na Rede PACRA; A partir disso aconteceu a inscrição e conquista de projetos artísticos, culturais e formativos com recursos oriundos da lei Aldir Blanc em âmbito municipal e estadual, sendo aprovados em torno de 30 projetos, movimentando a criação, formação e fruição cultural, política e pedagógica entre os coletivos artísticos dos assentamentos e aldeias, sendo, alguns deles abaixo apresentado:

  • Arte, diversidade sexual e de gênero no território camponês pelo Ponto de Cultura do Assentamento Santana/ Monsenhor Tabosa;
  • Gênero, Arte e Cidadania pelo Ponto de Cultura do Assentamento Mucuim/ Arneiroz
  •  De onde vem o baião? vem do barro, do barro do chão? pelo Ponto de Cultura do Assentamento Tiracanga/Canindé
  • Terreiro do Reisados do Litoral pelo Ponto de Cultura de Caetanos de Cima/ Amontada 
  • Memoriagua – Memória das águas e resistências camponesas pelo Coletivo Ciclo Vida do Assentamento Barra do Leme/ Pentecoste
  • Reviva – Brilho do Sol pelo grupo de Teatro do Assentamento Monte Orebe/ Canindé
  • Batucando as memórias: arte, diversidade e resistência pelo Ponto de Cultura de Caetanos de Cima/ Amontada 
  • Teatro da Terra e Comunicação Popular: rebrotando esperanças Ponto de Cultura do Assentamento Mucuim/ Arneiroz;
  • Os fantasmas do vale do silício invadem os sertões: tempos de pandemia pelo Ponto de Cultura do Assentamento Todos os Santos/ Canindé;
  • Natal da reforma agrária no sertão de Crateús em tempo de pandemia pelo Ponto de Cultura do Assentamento Santana/ Monsenhor Tabosa.

Neste contexto, de distanciamento social, as tecnologias digitais, foram fundamentais para aproximar os grupos e coletivos, em espaços virtuais, demonstrando em meio a pandemia, face às perdas, a solidariedade e a unidade entre os grupos, como mobilizando a convivência entre as pessoas, que estavam isoladas em suas casas. Como a promoção de atividades culturais e artísticas que contribuíram para amenizar o peso do contexto pandêmico. 

Se discutiu com  as principais dimensões do debate político-cultural dos projetos temas relacionados às questões étnico-raciais e de gênero-sexualidades, apresentando as contradições e possibilidades de devir nas relações humanas ainda em processo de construção nos territórios, especificamente, quando se pensa o racismo, o apagamento e genocídio da população indígena, a homo-lesbo-transfobia, e a violência contra mulher.

Neste mesmo ano, a Rede PACRA participou do Festival pela dignidade dos pueblos, com a indicação de grupos artísticos do brasil. Na ocasião, com o Terreiro Cultural de Caetanos de Cima e o clip “ainda vivas” do grupo teatral da periferia de Fortaleza “Nóis de Teatro”.

2021

Em 2021, ainda num contexto pandêmico, a Rede PACRA conseguiu desenvolver ações de forma remota, híbrida e presencial, através do Projeto conquistado pelo Prêmio de Fomento Arte e Cultura do Ceará, oriundo de recursos da Lei Aldir Blanc, que estruturou um conjunto de ações de formação, criação e fruição artística e cultural com as linguagens do teatro, audiovisual e música, em nove assentamentos de reforma agrária e duas aldeias indígenas, tendo como marcos: II Escola de Teatro da Terra; Escola de Audiovisual da Terra; Curso Colonialidades e Resistências nos territórios camponeses do Ceará; Mostras Culturais; Festival de Arte e Cultura Viva Comunitária; Lançamento do Livro de Ivan Nogales; e o Lançamento do Site da Rede PACRA.

Além disso, a Rede, neste ano, participou da organização do Festival pela dignidade dos pueblos, numa experiência de intercâmbio remoto, num Festival, com a presença de mais de 20 países da América Latina, Ásia, África e Europa, levando ao diversos países e grupos culturais a experiência de arte e cultura na reforma agrária e de aldeias indígenas no Ceará. 

Este ano, se registra como, o ano de maioridade da rede, ao completar seus 18 anos de trajetória, como também de consolidação de eixos de trabalho que a Rede PACRA, perspectiva continuar articulando, organizando, criando e produzindo no âmbito dos assentamentos e no diálogo com as aldeias indígenas, sustentando a organicidade e autonomia da Rede, em seu movimento de continuidade e permanência das ações em cada território.  

Se discutiu com  as principais dimensões do debate político-cultural do prêmio temas relacionados às questões étnico-raciais e de gênero-sexualidades, apresentando as contradições e possibilidades de devir nas relações humanas ainda em processo de construção nos territórios, especificamente, quando se pensa o racismo, o apagamento e genocídio da população indígena, a homo-lesbo-transfobia, e a violência contra mulher, banhando  as linguagens do teatro, música e audiovisual com esses temas.

Feito com ❤️ pela NINJA Hacker Space, Design Ativista e Rede Livre